quinta-feira, 29 de maio de 2008

Resenha do Filme "Tempos Modernos"

Assistimos ao filme “Tempos Modernos” que se passa no início do século XX, época da revolução industrial, quando a elevação do consumo em massa aumentou o número de trabalhadores nas fábricas, abordando criticamente os principais conceitos do taylorismo.

Na primeira cena do vídeo observamos uma linha de montagem onde cada operário realizava uma única tarefa repetidamente. Logo após acontece o invento da maquina que permitia ao trabalhador executar sua função, a qual não exigia esforço mental, e comer ao mesmo tempo. Isso nos mostrou que o objetivo da teoria científica de Taylor era aumentar a produtividade das organizações com ênfase apenas em realizar tarefas de forma rápida e eficiente, sem preocupação com as limitações físicas e psicológicas do ser humano. Em conseqüência disso o protagonista do filme adquiriu uma doença e foi afastado do cargo.

Depois da recuperação, o trabalhador retornou ao mercado de trabalho, mas não pôde ocupar seu antigo posto, pois, nesse momento a cidade se encontrava mergulhada na crise de 1929 e as fábricas estavam fechadas. Então procurou se empregar em outro ramo de atividade, mas viu-se completamente despreparado porque como na indústria as tarefas eram especializadas, fora treinado para exercer apenas sua função e não possuía outras qualificações.

Segundo Frederick W. Taylor, o empregado não tem condições de analisar o trabalho e estabelecer o melhor método de fazê-lo. Como vimos no seu primeiro novo emprego, o ex-operário se deparou com o desafio de encontrar um pedaço de madeira em formato padrão. Parecia ser tão fácil quanto apertar parafusos, mas como de costume realizou apenas de acordo com a ordem recebida sem utilizar raciocínio, o que trouxe conseqüências desastrosas.

Para esse teórico todo operário é irresponsável, vadio e negligente. Essa hipótese foi ilustrada quando o protagonista do filme disse a sua amiga que teria uma casa, nem que para isso precisasse trabalhar por ela. Em outro momento conseguiu o trabalho de vigia noturno em uma loja de departamentos. Na primeira noite ele e a mulher aproveitaram para comer e se divertir na loja.
O filme Tempos Modernos critica a administração Científica do ponto de vista humanista, pelo fato de ela levar pouco em conta as relações humanas ao estabelecer um padrão de trabalho nas linhas de produção, encarando os empregados como peças e a organização como máquina. Porém Taylor foi pioneiro em tentar substituir métodos empíricos de administração por métodos científicos e por isso ocupa um alto patamar no campo das organizações.
Grazi










23 comentários:

Anônimo disse...

Terei que assistir novamente a "Tempos Modermos", pra ver se concordo com sua opnião.
De qualquer forma, rever a obra-prima de Chaplin sempre vale a pena.

Anônimo disse...

Assisti novamente a grande obra prima de Chaplin e cheguei à seguinte conclusão: seu texto está muito superficial! Voce deveria ter vergonha de publicar uma merda dessas. Mas ja que é 1o periodo, ou seja, calouro BURRO, esta tudo dentro do esperado.

Passar bem!

Anônimo disse...

Boa colocação.

Anônimo disse...

sua colocação é premeditada e superficial realmete, contudo se voce tivesse se esforçado mais um pouco e visse com um olhar mais apurado e não só descrevesse as cenas do filme como se fosse uma história qualquer, penso que se fundamenteria melhor. È interessante perceber também que voce não faz nenhuma analogia com o contexto historico em que se passava o filme, em plena crise e depressão dos anos 20 nos Estados Unidos. Sinto que se Chaplin estivesse vivo e tivesse a desonrra de ver este seu texto, ele meio que se perguntaria: mentes brilhantes como a minha nunca sao compreendidas por inerguminos irracionais.


Só uma observação eu tambem sou primeiro periodo e isso nao justifica nada.

cabe a cada um dar o seu melhor.

Anônimo disse...

sua colocação é premeditada e superficial realmete, contudo se voce tivesse se esforçado mais um pouco e visse com um olhar mais apurado e não só descrevesse as cenas do filme como se fosse uma história qualquer, penso que se fundamenteria melhor. È interessante perceber também que voce não faz nenhuma analogia com o contexto historico em que se passava o filme, em plena crise e depressão dos anos 20 nos Estados Unidos. Sinto que se Chaplin estivesse vivo e tivesse a desonrra de ver este seu texto, ele meio que se perguntaria: mentes brilhantes como a minha nunca sao compreendidas por inerguminos irracionais.


Só uma observação eu tambem sou primeiro periodo e isso nao justifica nada.

cabe a cada um dar o seu melhor.

contabilidadeacadêmico disse...

voê foi muito superficial! burro ,idiota!

Anônimo disse...

Suas colocações foram de fatos sensatas, isso é uma resenha, não necessita de detalhes específicos mais não deve sobrenatural como fora escrrito

Marina Fuchur;* disse...

Esse comentário foi ridiculo. Não vi em nenhuma parte o autor deduzir que os operarios eram burros ou coisa parecida. O que vi foi uma critica ao modo como eram tratados os menos favorecidos. Por favor conserte este texto mal-feito.

carla disse...

A maioria das pessoa que fizeram os comentários aqui foram totalmente mal-educadas. Prestem atenção na hora de falar alguma coisa. Acho engraçado a forma como ficam corajosos quando estão atrás do computador, amparados pelo anonimato. Vocês nem servem para fazer uma crítica, vão aprender um vocabulário mais extenso que não se limite só em "burro" e "idiota".

Anônimo disse...

vc pegou iso da net sua discarada

Anônimo disse...

Só vejo pessoas criticando,dizendo ser superficial,e até agredindo verbalmente a autora,mais não vi um dos "sabidões",escrever algo realmente útil,que mostre o seu ponto de vista cientifico,um monte de calouro burro querendo criticar.

Anônimo disse...

acho que seu comentario foi um pouco fraco! voce parou na metade do filme, prosigua sua tesi..

Anônimo disse...

Tesi.... kkkkkkkkkkk muitas pessoas cultas nestes comentarios estou impressionada... sem falar na profunda educação e respeito humano que dedicaram em suas colocações, expressam suas frustações, mediocridades e a total arrogancia que domina os seres humanos que se acham s donos do saber!

Paula
Assistente Social

Anônimo disse...

Realmente, devo concordar com a Paula.
Amada você expressou muito bem meus sentimentos em relação a esses anônimos. Estou horrorizada, pois com toda certeza essas pessoas tão inteligentes esperavam encontrar trabalho escolar pronto para cola e copia. E somente lembrando aos inteligentes de plantão que estamos aprendendo e não FORMADOS.

Luciana Lemos

Anônimo disse...

QUANTA BURREZA...NÃO SABE QUE É MAIS BURRO,A QUE ESCREVEU OS OS QUE COMENTOU.É IMPRESSIONANTE COMO PODE SER TÃO ABESTADOS.VOCES PODIAM PRUCURAR UM PSICOLIGUO PARA VER SE ESSA CACHOLA DE OCES FUNCIONA MELHOR.

SABRINA

Anônimo disse...

gente pelo amor de deus quem voces pensam que são para fazer esso tipo de critica? Aproveitem já que são tão inteligentes e postem uma resenha, que eu duvido que consigam.Nimguem pode julgar as coisas do outro, que especie de estudantes voces são? Da para peceber que o burro ai são voces.

Anônimo disse...

A biblia diz que devemos examinar tudo e reter o bem se não ha nada de bom no comentário feito tem a força de vontade a iniciativa e a coragem de tentar acertar.

Anônimo disse...

SABRINA burreza?????
Não seria burrice? Aff um pior que o outro!

Anônimo disse...

Pessoas sem cultura. E ainda falam que estudam, isso é uma resenha não presisa de muitos detalhes. Já sei estão querendo um trabalho completo, pra poder cópia e mostrar no curso. Falando ser seu rsrsrsrs. Uma pena . Ezequiones paulino

alessandra disse...

gostaria de pedir mais educação aos futuros doutores do saber,lembrando que ninguem e detentor de todos os saberes sou pedagoga e digo a quem escreveub este resumo continue assim pois cada dis aprendemos um pouquinho mais,e obrigado por compatilhar o que aprendeu

Anônimo disse...

Tsc tsc. Tolos q se julgam sábios e que se escondem atrás do anonimato.Pessoas sem o mínimo de cultura e educação se julgando aptos a analisar trabalhos acadêmicos... queridos, vcs deviam estar escrevendo artigos pro "New York Times". É cada um q aparece, mas enfim, internet é pra todo mundo, sábios e ignorantes. Ah, e SABRINA, muito obrigada por enriquecer meu vocabulário com suas concordâncias e neologismos (QUANTA ,BURREZA.NÃO SABE QUE É MAIS BURRO,A QUE ESCREVEU OS OS QUE COMENTOU.É IMPRESSIONANTE COMO PODE SER TÃO ABESTADOS.VOCES PODIAM PRUCURAR UM PSICOLIGUO PARA VER SE ESSA CACHOLA DE OCES FUNCIONA MELHOR". Todas as frases do seu comentário possuem erros dignos de uma tese de TCC. Muito bom! Diverti-me horrores...
Ana Sousa

Anônimo disse...

Parece ser uma briga entre colegas de turma, não se cobra muito de alunos de primeiro período, todo professor de universidade sabe disso, devemos incentivar o aluno a publicar, mesmo estando errado, ele ao menos tentou.

Arthur França
Graduando em Letras Português - UESPI

Anônimo disse...

Enfim, alguém sensato!